Paralisia Obstétrica

O Plexo Braquial nos Bebês

Plexo braquial é um conjunto de nervos, localizados na região do pescoço, que são responsáveis pelos movimentos e pela sensibilidade do ombro, braço, antebraço e mão, ou seja, de todo o membro superior (figura abaixo).

Este conjunto é formado por 5 nervos principais, chamados de raízes. As raízes C5 e C6, por exemplo, são responsáveis pelos movimentos do ombro e cotovelo.

Mecanismo da lesão no parto.

No vídeo que segue mostrando o mecanismo de estiramento e lesão do plexo braquial no momento do nascimento.

 

Tipos de Lesões

Existem lesões mais severas e outras de características mais brandas.

Há casos em que apenas os movimentos do ombro e cotovelo ficam paralisados, mantendo-se preservados os movimentos da mão. Estes são os sintomas mais comuns apresentados.

Nos casos mais graves, quando o plexo é arrancado da medula espinhal, todo o movimento e sensibilidade do membro superior ficam comprometidos.

Em algumas situações, extremamente raras, somente a mão é afetada. Estes casos geralmente estão associados ao parto de nádegas (a criança está sentada no momento do parto). Alguns bebês apresentam um quadro de paralisia nos dois braços. Trata-se de uma situação incomum, e está igualmente relacionada ao parto de nádegas.

Arrancamento do Plexo

Fala-se de arrancamento ou avulsão quando a lesão do plexo ou raiz acontece praticamente na medula espinhal.

Exame da Criança

Na inspeção da criança já se nota a paralisia pela postura adotada expontaneamente pelo braço.

Nos primeiros 6 meses de vida, os comandos motores do recém-nascido são desenvolvidos graças aos reflexos primitivos.

Nos utilizamos deste preceito para executar um exame inicial, onde ao se tocar a palma da mão de um recém-nascido a mão se fecha, e coçando o dorso da mão os dedos espontaneamente se abrem, indicando normalidade no membro examinado.

Além deste exemplo existem varias outras manobras que permitem uma avaliação mais precisa. Com o passar do tempo, o controle passa a ser voluntário, e os reflexos tendem a desaparecer. Caso isto não ocorra, e os reflexos primitivos persistirem, poderemos estar diante de uma outra causa de paralisia do membro superior, chamada de paralisia cerebral, que será abordada num capítulo à parte.

Na tentativa de buscar um teste para detectarmos alterações dos movimentos voluntários, em bebês acima dos 3 meses, desenvolvemos o teste da toalha. Este teste vem ganhando adeptos rapidamente e já foi publicado em importante publicação médica da língua inglesa.

Teste da Toalha

Imobilizando o membro não afetado e cobrimos a face do bebê com uma toalha ou lenço, tomando o cuidado de cobrir os olhos com ela. Instintivamente a criança tenta remover o objeto de cima do rosto.

Se por volta do 4º mês, o bebê não retirar a toalha da face com o membro suspeito, usando insistentemente o membro são para livrar-se do incômodo (toalha), os pais e o médico devem ficar atentos. Ao 6º mês, persistindo o movimento de livrar a toalha dos olhos usando apenas o braço sadio, a cirurgia estará indicada.

Identificando a Gravidade da Lesão

Caso a paralisia seja completa, e a criança apresentar alterações no olho do lado do braço afetado (figura abaixo), a cirurgia deverá ser realizada o mais breve possível. As alterações (no olho) a que nos referimos são a queda da pálpebra superior e a diminuição do tamanho da pupila (menina dos olhos).

L1040637a

O Que Deve Ser Feito

Já nas primeiras semanas, para impedir o encurtamento da musculatura, começamos com exercícios que deverão ser realizados 3 vezes ao dia, 10 movimentos a cada vez (figuras abaixo). Nós orientamos os pais a fazerem o exercício, que consiste na realização da manobra mostrada na figura abaixo. Este exercício mantém o membro paralisado livre de contraturas. Alguns tratamentos, como os choques no membro (eletro-estimulação) podem ser prejudiciais.

DSCN0030 cópia

Nenhuma outra forma de alongamento deverá ser realizada, haja vista o risco de lesão da musculatura. Oitenta por cento dos pacientes recuperam os movimentos até o 3º mês. Os outros 20% não recuperam e deverão ser operados.

O Que Não Deve Ser Feito

Imobilizações prolongadas em posições anacrônicas como a apresentada na figura abaixo devem ser evitadas porque trazem complicações para o desenvolvimento do ombro da criança.

Este tipo de imobilização deve ser evitado a todo custo. Isto é uma forma de tratamento ultrapassada que acarreta problemas a nível do ombro

Este tipo de imobilização deve ser evitado a todo custo. Isto é uma forma de tratamento ultrapassada que acarreta problemas a nível do ombro

Atenção com as informações prestadas por profissionais da área da saúde.

É muito comum médicos e fisioterapeutas não familiarizados com os procedimentos específicos que o caso requer, emitirem opiniões que muitas vezes levam a conseqüências desastrosas. Seguidamente se diz aos pais, por exemplo, que a fisioterapia levará criança a recuperar todo o movimento e, caso não recupere, deverá recorrer à cirurgia aos 10 anos. Isto é um grande equívoco.

Consequência na Falta de Tratamento

Além da paralisia e perda sensitiva, em muitas crianças o membro paralisado não se desenvolve totalmente, apresentando deficiências no crescimento (figura abaixo).

 

sequela po grave cópia

Cirurgia

Basicamente trata-se de uma cirurgia de transplante de nervo, onde os nervos lesionados são identificados (fig 12) e reconstruídos com nervos retirados de região doadora, na parte posterior da perna da criança. Os nervos retirados da perna não acarretam nenhum prejuízo funcional, sem causar nenhum prejuízo para a locomoção.

Após a cirurgia, os nervos naturalmente demoram algum tempo a se enraizar, ou, cientificamente falando, a se regenerar.

plex cópia

Exames Pré-Cirúrgicos

São solicitados apenas o exame de sangue e um Rx do tórax.

Outros exames específicos de imagem, como a ressonância magnética e a tomomielografia, por exigirem a administração de anestesia geral não são solicitados rotineiramente. O eletromiograma também é evitado por ser doloroso quando feito com agulhas, e por gerar informações pouco precisas.

Expectativas de Recuperação

Existem ainda procedimentos complementares, no caso da recuperação não corresponder à expectativa médica.

Como nenhuma função do membro superior é realizada por um único músculo, existe a possibilidade de executar uma transferência tendinosa, ou seja, desviar funções dos músculos adjacentes para tarefas mais nobres. Dessa maneira um músculo pode ser transferido para atender as novas solicitações do membro, e sua função original passa a ser executada pelo músculo auxiliar, preservando o movimento na região doadora. Estas cirurgias são realizadas após os quatro anos de idade.

É muito comum crianças com seqüela de paralisia obstétrica apresentarem um braço girado para dentro. Este quadro pode ser revertido com liberações tendinosas, executadas através de cirurgia no ombro.

Sequelas importantes

A maioria das crianças com trauma de plexo braquial no parto tendem a recuperar espontaneamente. Entretanto, até aquelas crianças que apresentam uma grande recuperação funcional tendem a apresentar problemas a nível da articulação do ombro. Isto se dá pela perda da rotação externa, que consiste na capacidade de girar o braço para fora. Com a ausência deste movimento a articulação do ombro não se desenvolve perfeitamente e a cabeça do osso do braço, do úmero, cresce irregularmente e termina por sair da articulação. Chamamos isto de luxação posterior do ombro. Pelos graves problemas que acarretará no futuro isto tem que ser corrigido. Se no exame da criança o médico ou mesmo os pais não conseguirem girar completamente para fora o braço da criança uma cirurgia deve ser realizada. Veja a maneira de examinar a criança na ilustração que segue.

Cópia de P1010676 cópia

Exame do movimento de rotação externa. O cotovelo da criança deve estar colado ao corpo enquanto o médico gira o braço para fora. Se o braço não puder ser girado para fora a criança deve ser operada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

34 ideias sobre “Paralisia Obstétrica

  1. este procedimento é o que tem dado resultado para melhora do braço de minha filha que teve essa lesão obstétrica, mais eu ainda gostaria que fosse feita a cirurgia no cotovelo´, pois a mesma me foi indicada pelo Dr. Jaime A. Bertelli mas por eu estar impossibilitada de levar minha filha à fazer a cirurgia na data sugerida , hoje estou no aguardo gostria muito de uma atenção e outra oportunidade , desde já agradeço. Deus te abençoe

  2. estou terminando meu curso de enfermagem e meu tema na monografia è lesoes de plexo obstétrico,escolhe este tema porque minha filha teve lesões de plexo ao nascer preciso saber mais sobre o tema quem poder me enviar algo sou grato,como hospitais especializados em cirurgias etc.

  3. meu menino teve lesão alta de plexo ao nascer, no dia 19 de dezembro, ja esta com mais de 3 meses, faz fisioterapia desde os 2 meses, ele apresenta melhoras se espreguiça leva a mão na boca mas ainda não flexiona o cotovelo.Gostaria de saber se a recuperação ainda pode vir nos demais meses, os medicos que consultamos nos deixaram com muitas dúvidas e um sentimento de impotência.

  4. minha filha tem 28 dias teve lesao do plexo braquial total foi indicado para fazer fisioterapia gostaria de saber se tem cirrugia no caso dela

  5. Boa tarde
    Minha sobrinha teve Paralisia Obstétrica, o neuro pediatra que esta acompanhando o caso disse que não há cirurgia para tal reparação, gostaria que me informassem que hospital aqui em São Paulo realiza esse tipo de cirurgia,ela fez um mês agora dia 14/04/2013, aguardo retorno.

  6. Gostaria de saber, em que casos seria possível a realização desse procedimento ou outro conforme o caso, em adultos com lesão de plexo decorrida do nascimento?

  7. boa noite? tenho um filho que ao nascer teve a paralisia obstétrica . começou a fisioterapia aos 15 dias de vida. hoje ele tem 9 meses e me surpreende , pois ja engatinha, levanta , pega peso, leva a mão na boca, segura a mamadeira e muito mais…. acredito que meu filho passou por uma cirurgia espiritual. porque os médicos fizeram os exames e comprovou pobre de movimento….. tem explicação para milagres.
    Eu respeito muito a medicina!!!

  8. O problema é que o os exames estavam errados. Teu filho não precisava de cirurgia. Não existe nenhum exame específico que determine a gravidade nas lesões do plexo braquial. Deves ter realizada um exame chamado eletromiografia, que não tem serve para nada.

  9. Ola DR, moro em Campo Mourão, PR, minha sobrinha tem plexo braquial ela fez um aninho agora, e esta fazendo apenas fisioterapia o braço dela esta mto mole, to desesperada, gostaria de saber como faço pra marcar uma consulta no hospital em q vc atende. os medicos aki diceram q naum tem o q fazer, o q eu faço Dr. TA mto dificil os pais dela ainda sao de menores naum sabem como lidar com o problema.

  10. Ola dr, minha sobrinha tem um aninho e sofre de plexo, estou precupada, pois o braço dela esta muito mole. Os medicos aki naum se importam, pois desconhecem o caso. Onde eh seu concultorio, preciso do email e telefone, preciso marcar uma consulta. Obrigado

    Maes e amigos q deixaram comentarios ai, estou abrindo um blog para conversarmos a respeito e ter novas ex periencias neh, me add no face
    http://www.facebook.com/aline.travassosmagalhaes

    email: aline_t.m@hotmail.com

    GOSTARIA mto de conversar com vcs, quem sabe naum pode ser util pra todos nos. Obrigado!

  11. Tenho 15 anos, e tenho paralisia obstétrica no ombro esquerdo, sinto desconforto nele o dia todo, e eu e me família decidimos fazer a cirurgia se claro o medico me indicar pela a solução melhor.
    Gostaria de saber da Dr, o que a Dr me aconselharia, me aconselharia fazer a cirurgia mesmo, ou não? e como é o processo da cirurgia?
    Obrigado, fico a espera da resposta.
    Abraço.

  12. Bom dia, meu bebe hoje com 2 meses nasceu com p o no lado direito.nao movimenta ombro mao emfin e ainda possui dificuldade respiratoria.fui orientada a recorrer a fisioterapia desde os11 dias continua quase igual possui pouco tonus muscular e cedo falar em cirurgia?

  13. Olá, Dr. Jayme. Minha filha Luísa tem 20 dias de idade e tem uma lesão total no plexo braquial do braço direito, com 02 dias de vida a levamos em um ortopedista que nos indicou a fazer fisioterapia, porém nos desenganou quanto a recuperação dos movimentos do bracinho dela e nos informou que a cirurgia nesses casos não traria muitos resultados. Nossa filha começou a fisioterapia com 10 dias de vida e após 02 sessões ela apresentou pequenos movimentos no braço, consegue eleva-lo um pouquinho e mexe sem dificuldade o ombro. Estamos muito preocupados pois os médicos daqui de Cuiabá-MT não sabem nos informar se o caso dela é cirúrgico ou não. Como faço para marcar uma consulta, gostaria de marcar o mais rápido possível, pois não temos muita informação, não sabemos como podemos ajudar nossa filha, temos medo de fazer movimentos que prejudique ainda mais a lesão e/ou que o bracinho dela atrofie.

  14. Boa noite,doutor:entao meu bebe fez a cirurgia aos 5meses hj faz 1 mes da realizacao da mesma houve incherto de nervos retirados da perna e tenho uma preocupacao sobre a recuperacao o cirurgiao me disse q ela nao vai recuperar.gostaria de saber a opiniao sua .obrigado

  15. Olá
    Boa noite, eu tenho um filho de 8 anos que tem essa paralisia, fez fisioterapia ate os dois anos e teve grandes melhoras, como o tratamento eu podia fazer em casa entao parei de leva- lo para as sessoes de fisioterapia.
    Gostaria de saber se a cirurgia de retirada de musculo da coxa para o ombro traria um melhor resultado
    Ele nao movimenta os dedos da mao e nao consegue erguer o braço na altura da cabeça.
    Obrigado.

  16. Dr. Bertelli, primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo trabalho.

    Compreendi pelas respostas às perguntas de outras pessoas aqui no site que antes dos 3 meses de idade não convém realizar nenhum exame no bebê. Isto vale também para aquelas crianças que apresentam queda da pálpebra do olho no lado paralisado?

    Meu filho nasceu em 25/02/2014 e tem aparente lesão no plexo braquial. Apresenta braço esquerdo flácido e olho esquerdo com pálpebra levemente caída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>